Canal 2.1

Green Rio promove oportunidade de investimentos para projetos na área de bioeconomia

Três produtos biossustentáveis desenvolvidos na Universidade do Estado do Amazonas (UEA) representarão a instituição na oitava edição de uma das maiores feiras sobre economia verde e soluções do Brasil, o Green Rio, que acontece de 23 a 25 de maio na Marina da Glória, Rio de Janeiro.

Os produtos representantes são “Ecopainel feito com fibras do açaí”, desenvolvido pelo Prof. Dr. Antônio Mesquita; “Madeira plástica feita com caroço de tucumã”, do Prof. Dr. Antonio Kieling; e “Bioprótese de madeira (feita com cumaru, pau d’arco e roxinho – madeiras típicas da Amazônia)”, desenvolvida pela Profa. Dra. Marlene Araújo.

A exposição dos produtos no Green Rio irá possibilitar a busca de investimentos que promovam o desenvolvimento de pesquisas na área da economia verde na região Norte, por meio da UEA.

Conheça mais sobre cada um dos produtos:

Ecopainel feito com fibras do açaí – A produção dos ecopainéis, baseada nos princípios da Economia Circular, é feita a partir dos resíduos do fruto do açaí descartados nos leitos dos igarapés e canais artificiais de escoamento de água nas cidades, gerando impactos ambientais. A partir deste efeito, o produto consiste no aproveitamento de toda a cadeia da matéria-prima, gerando subprodutos, emprego, renda e tecnologia.

O trabalho também conta com a utilização de uma resina de óleo de mamona para fazer a adesão das fibras. A fabricação pode ainda evitar a emissão de CO2, que ocorre na fabricação industrial de painéis de fibras de madeira utilizando resinas sintéticas à base de Ureia Formaldeído, muito comum na atualidade.

Madeira plástica feita com caroço de tucumã – É produzida a partir de caroços do fruto do tucumã e de plástico reciclado. O processo de fabricação da madeira plástica inicia com a quebra dos caroços do tucumã. Sua parte lenhosa é moída até formar pequenas partículas, da mesma forma como os plásticos duros descartados como resíduo sólido urbano, que são reciclados e moídos.

As partículas de tucumã e do plástico reciclado são misturadas e introduzidas em injetora industrial com adição de calor, onde o plástico derrete e se agrega às partículas da madeira do tucumã. A Madeira Plástica apresenta propriedades físico-mecânicas similares àquelas de materiais utilizados na produção de pisos, painéis, revestimentos, cadeiras, entre outros.

Bioprótese de madeira (feita com cumaru, pau d’arco e roxinho – madeiras típicas da Amazônia) – As madeiras pau d’arco, cumaru e roxinho são as matérias-primas da bioprótese. As lâminas que darão origem ao protótipo passarão por um processo de secagem natural. As articulações do pé e do tornozelo formam um sistema complexo que deve fornecer um grau de estabilidade maior do que de flexibilidade. As lâminas são apoiadas para receber a película do adesivo, e rapidamente prensadas com fixadores manuais, para que todas as ligações adesivas atinjam a máxima resistência.

A bioprótese fornece uma base estável para a posição ereta; fornece uma alavanca rígida, na fase do impulso da marcha; absorve as cargas; adapta-se às irregularidades do solo e transforma a torção por meio da articulação inferior e da bacia.

Sobre o Green Rio 2019 – O evento Green Rio reúne em sua feira anual negócios e representantes da Economia Verde, dos setores orgânico e sustentável. De quinta-feira (23/05) a domingo (25/05), acontecerá a sexta edição do evento na Marina da Glória, Rio de Janeiro.

FOTOS: Joelma Sanmelo/Ascom UEA

Comentários